Este blog tem o objetivo de pregar o verdadeiro evangelho, através da divulgação de material selecionado da internet, de verdadeiros servos do Senhor, homens dos quais o mundo não era digno, muitos dos quais infelizmente foram esquecidos na Igreja atual, que tem sofrido com o ensino de um evangelho humanista. São mensagens consistentes, alimento sólido, que nos guiam para uma vida de profunda comunhão com Deus e nos ensinam a focar na única razão da nossa existência: Jesus Cristo. Também tem o objetivo de divulgar as diversas formas de perseguição das quais os cristãos têm sido vítimas em todo o mundo.
Sola gratia, sola fide, solus Christus, sola scriptura, soli Deo Gloria.

Pesquisar neste blog

Carregando...

24/07/2014

Como Evangelizar seus colegas de trabalho? - Ashok Nachnani


Conforme cresce a oposição cultural ao cristianismo, qual é o efeito disso no evangelismo que você faz no trabalho? Você está mais fiel ou mais temeroso?
Você dificilmente poderia ser culpado por estar mais temeroso. O rápido avanço do liberalismo social e das políticas de recursos humanos promovendo “tolerância” no local de trabalho apenas exacerbam os dois medos que comumente citamos para o não compartilhamento do evangelho com nossos colegas de trabalho: medo de má reputação e medo de repercussões na carreira, como perda de emprego ou estagnação da carreira.
O evangelismo sempre foi difícil. Se existe qualquer coisa nova a respeito dos nossos desafios de hoje é quão fortalecida a oposição parece estar. Não cristãos costumavam dizer “cada um na sua”. Agora eles estão mais propensos a nos acusar de estupidez (“Sério, você não acredita na evolução?”) ou de fanatismo intolerante (“Como você ousa dizer que homossexualismo é um pecado?”). Empregadores cada vez mais pesquisam nas mídias sociais sobre a vida dos candidatos ou empregados antes de tomarem decisões de contratação ou promoção. Há quanto tempo empresas que temem assédio moral e discriminação no ambiente de trabalho trocam o cristão mais visível por alguém menos notável?
Apesar de tudo isso, eu sou muito grato pelos irmãos que temeram mais a Deus do que ao homem e compartilharam o evangelho comigo. Minha própria fé é fruto do evangelismo no local de trabalho. 

17/06/2014

Entrevista com Alister McGrath - Um apologista de Oxford

A seguinte transcrição do Apologetic 315 é da entrevista com o Alister McGrath.
O texto original em inglês pode ser visto aqui.
Áudio original aqui. Índice de transcrição aqui. Se você gostar das transcrições, por favor considere apoiar, que faz isto possível.

BA: Olá. Eu sou o Brian Auten do Apologetics 315. A entrevista de hoje será com o Professor Alister McGrath, professor de teologia, ministério, e educação e diretor do Centro de Teologia, Religião & Cultura no King’s College, Londres. Seus estudos variam desde um Ph.D. em biofísica molecular a Doutor em Divindade na [Universidade] Oxford. Ele é conhecido por seu trabalho em teologia história, sistemática e científica. Ele também é autor de vários textos-livros, artigos científicos, textos-livros acadêmicos, bem como muitas obras populares. Seus livros variam desde teologia sistemática e científica a obras lidando com o novo ateísmo, apologética e o intelecto cristão.
Muito obrigado por estar aqui hoje comigo para esta entrevista, Professor McGrath.

AM: Bem. É um grande prazer. Aguardo com expectativa a nossa discussão.

BA: Bem, como você sabe, muitas pessoas tem ouvido falar de um professor ateu de Oxford que cresceu em um lar cristão, mas tornou-se uma voz ardente para o ateísmo. Mas outros talvez queiram ouvir falar deste ateu de Oxford que tornou-se um cristão. Obviamente, estou falando de você. Você se importaria de falar-me um pouco mais de sua história e esta jornada?

14/06/2014

O relativismo na igreja - Paulo Júnior

Mais uma grande pregação do pr. Paulo Júnior! Fala da infiltração do relativismo no pensamento cristão, causando a superficialidade do evangelho de hoje. Imperdível!

05/06/2014

A Bíblia é o documento mais historicamente correto de todos os tempos

Chad Hovind, pastor da megaigreja Horizon Community, de 5.000 membros, em Cincinnati, Ohio, quer ajudar os cristãos a entender melhor por que a Bíblia é o documento “mais historicamente correto de todos os tempos”.

Segundo Hovind, a visita do conhecido pregador Josh McDowell à sua igreja ajudou muitas pessoas a “abrirem os olhos” para alguns fatos fascinantes. O autor de “Mais que um carpinteiro” usou em suas palestras um rolo com os cinco primeiros livros da Bíblia (Torá) com cerca de 500 anos de idade. Ele permitiu que os presentes o tocassem e examinassem. Depois, explicou que aquele era um dos poucos manuscritos completos da Torá do mundo que não está em algum museu.

02/06/2014

Protejamos o Evangelho - Steve Lawson

Um chamado ao combate pela sã doutrina e sofismas deste mundo!

30/05/2014

Como a Graça Deveria Impactar a Execução do seu Trabalho - J. D. Greear

Quando alguém pensa em seu trabalho sendo “cristão,” todo tipo de imagem perturbadora vem à mente:
  • Abrir um salão de beleza chamado “Você Muito Melhor” ou uma livraria chamada “E Lias”.
  • Fazer momentos constrangedores de evangelismo nas chamadas promocionais.
  • Desafiadoramente dizer “Feliz Natal” ao invés de “Boas Festas” na fila do caixa, ou furtivamente dizer “Tenha um dia abençoado” na saudação.
  • Colar pôsteres de opções de estudo bíblico no horário de almoço ou enviar spams sobre visões da Virgem Maria no Equador.
Talvez você se lembre do incidente de 2004 com um piloto da American Airlines que, em seus anúncios antes do voo, pedia a todos os cristãos a bordo do avião que levantassem a mão. Ele então sugeria que durante o voo, os outros passageiros conversassem com essas pessoas sobre a fé deles. Ele também disse aos passageiros que ele ficaria feliz em conversar com qualquer um que tivesse dúvidas. É compreensível que isso fazia as pessoas surtarem: o piloto do seu avião falando com você sobre se você vai ou não se encontrar com Jesus?[1] Embora eles pudessem admirar o zelo do cara, muitos empresários cristãos pensam: “Eu acho que eu não conseguiria fazer isso sem ser demitido.”